Equipamentos

Review – Decathlon Kalenji TR

Este é nosso segundo review de tênis de trail running da marca Kalenji, da francesa Decathlon. No ano passado, havíamos testado o Kiprun XT7, uma espécie de ‘irmão mais velho’ do modelo TR, que mostraremos nesta avaliação.

Como é comum nos mercados de corrida e de trail running, a Decathlon escalonou sua linha de produtos com três opções. O TR é o produto de entrada. Na sequência, vem o XT7 e, por fim, o MT, modelo top de linha.

O TR é, portanto, o modelo mais em conta e, em linha do que se espera de um produto da marca, oferece uma boa relação custo-benefício – no site da Decathlon, ele sai por R$ 249 – ante R$ 299 do XT7 e R$ 399 do MT.

Análise

Como produto de entrada, sua principal indicação são provas menos pesadas de montanha, com predominância de estrada de terra batida, alguns trechos de asfalto e não muitos desafios de escalaminhada e single trak, por exemplo. O solado, como no caso dos ‘irmãos’, possui cravos específicos para enfrentar aclives, declives e terrenos com lama, só que um pouco menos poderosos: se no XT7 e no MT eles possuem 5 milímetros, no TR são de 4 milímetros, o que evidencia sua vocação mais para o cross country, embora possa encarar algumas provas mais casca grossa. O TR se comportou bem na prova IGT23, que fizemos a convite da Decathlon em Igaratá (SP), e cujo terreno é predominantemente de terra batida.

Ainda na mesma linha, o contraforte e a biqueira do produto são reforçados, como se espera de modelos para trilha, só que numa proporção um pouco menor que a dos modelos que vêm a seguir na linha da Decathlon. Se por um lado, isso proporciona um pouco menos de proteção, por outro dá ao tênis mais flexibilidade, característica que muitos corredores apreciam e que faz dele uma pedida interessante, mesmo para pequenos treinos no asfalto e na esteira.

Detalhes

Chamou a atenção positivamente o drop de 10 milímetros, que privilegia o conforto. O peso é de 310 gramas na versão 41.

O modelo possui um compartimento para cadarço – provavelmente inspirado em concorrentes –, que facilita bastante em treinos e provas já que, por mais que o cadarço esteja mal amarrado, você dificilmente será obrigado a parar para resolver esse inconveniente.

Por fim, o quesito beleza. É óbvio que essa avaliação é um tanto subjetiva, mas o fato é que apreciei o fato de ele ser mais discreto que os outros modelos da linha (pelo menos o que testei, preto com detalhes em branco ante um verde fosforescente do XT7). O mesh da parte dianteira, acinzentado, chega a lembrar um pouco o Under Armour Bandit 3 (para asfalto), que já cheguei a testar para este site e que possui um visual mais ‘limpo’ que parece ser uma tendência no mercado de corrida.  O TR vai nessa mesma linha.

Resumindo, como mencionamos, trata-se do um modelo de entrada de trail running da Decathlon. Para quem está estreando na modalidade e não pensa em abandonar o asfalto definitivamente, pode ser uma boa pedida, especialmente pela combinação de preço acessível com desempenho que não decepciona.

Comentários Facebook

Disqus

advmag