quarta-feira, junho 29

Cursos

Meeting sobre Kit de Primeiros Socorros para Trail Running
Cursos, Destaques

Meeting sobre Kit de Primeiros Socorros para Trail Running

Muitas provas exigem que o atleta carregue um Kit de Primeiros como item obrigatório, porém como seria esse kit? Quais itens fazem parte dele? E em uma emergência, como usar todos esses itens obrigatórios? É o que o Professor Nelson Mendes vai abordar no Meeting Online da Escola Mountain School Brasil, no dia 08/06/22 às 19h30 via Zoom. As inscrições podem ser feitas pelo site https://www.mountainschool.com.br/service-page/curso-de-kit-de-primeiro-socorros Todos os alunos inscritos no curso, receberão um Ebook com uma lista de itens para colocar no seu kit de Primeiros Socorros, conforme a duração do treino, passeio ou prova. Também receberão um certificado Online de Participação no Meeting e os alunos que estiverem presentes na aula ao vivo, concorrerão ao Sorteio de Torniqu...
Inscrições abertas para a Turma 6 da Escola de Aventura do Agreste
Corrida de Aventura, Cursos, Veja também

Inscrições abertas para a Turma 6 da Escola de Aventura do Agreste

A Escola de Aventura do Agreste já apresentou o esporte Corrida de Aventura a mais de 100 atletas na Bahia. O público alvo envolve esportistas entusiastas, dentre eles atletas de outros esportes, corredores de fim de semana ou mesmo aqueles que não praticam esporte algum e desejam conhecer ou integrar nas Corridas de Aventura com segurança e bom desempenho. Com um projeto inovador, interessante e divertido que capacita os novos atletas a montar sua equipe e competir em qualquer prova no Brasil, as modalidades são distribuídas em cinco encontros entre aulas teóricas e práticas. As aulas teóricas e a oficina de orientação ocorrem no Parque das Dunas, um belo parque na cidade de Salvador conhecido por seu variado ecossistema e pelas trilhas e dunas. Esse primeiro dia tem aulas teóri...
Cursos

Curso de canoagem – Parte IV

Manobrando o caiaque Até agora somente abordamos a técnica de remada de propulsão. Porém para dominar a embarcação utilizada precisamos conhecer as principais técnicas de manobra de um barco. Estas técnicas são praticamente iguais no caiaque com fundo rígido e no duck, então não vamos separar as explicações agora. No capítulo sobre a remada de duck serão abordadas as especificidades. OBS.: As setas vermelhas mostram a direção da força da pá fora da água e em azul a força da pá dentro da água. Principais manobras: 1. Remada a ré (remada reversa) - A remada no sentido contrário à remada de propulsão: o começo da remada se dá atrás do corpo do remador e a pá do remo se movimenta de trás para a frente. As alavancas entre as mãos funcionam do modo similar ao da remada de propulsão, isto é, e...
Cursos

Curso de canoagem – Parte III

Neste capítulo será abordada principalmente a técnica de remada de propulsão no caiaque rígido, com algumas observações sobre a remada no caiaque inflável (duck). No próximo capítulo haverá maior análise de remada de duck, portanto fique atento às notícias no site! Postura no caiaque: pernas levemente flexionadas, corpo ereto e levemente inclinado para frente OBS.: procure evitar os principais erros: baixar a cabeça, olhar para baixo; ficar com tronco muito inclinado para frente ou para trás, e/ou costas curvadas demais. Técnica da remada – fases da remada 1. Posição inicial – braço na frente (do lado do ataque) estendido, braço de trás (do lado oposto do ataque) flexionado, tubo do remo paralelo ao espelho de água 2. Ataque / entrada – braço de baixo (do lado de ataque...
Cursos

Curso de canoagem – Parte II

  Tamanho correto de remo – com braço estendido para cima deve conseguir-se dobrar as últimas falanges dos dedos indicador e médio na borda da pá do remo         Obs.: a medida apresentada é para remador avançado remando caiaque oceânico comum, o tamanho do remo pode ainda aumentar com largura do caiaque (ex. Duck), muita força física, condições favoráveis (vento de costas); ou diminuir com menor largura e tamanho de caiaque (ex. Caiaque olímpico, caiaque-surf), pouca força e habilidade (iniciante, jovem ou remador de sexo feminino), grande distância da remada  (travessias longas), condições adversas (vento de frente) - veja tabela em anexo. Obs.2: A regra vale para as pessoas próximas da média, para os mais baixos e mais altos o tamanho ideal do remo aumenta, resp. diminui em rela...
Cursos

Curso de Canoagem – Parte I

Bem vindos ao curso de canoagem adventuremag! O mini-curso tem como objetivo apresentar a modalidade de canoagem para os visitantes do site, dar as orientações para os primeiros passos na modalidade e dar as dicas para ajudar nas provas de corrida de aventura, onde muitas vezes a parte de canoagem é uma das mais temidas. Serão abordados os seguintes tópicos: Como escolher o remo. Princípios de técnica de canoagem. Técnica avançada (manobras, deslocamentos laterais etc..) Remada no duck Segurança A idéia é de quem seguir as dicas e obter sucesso em cada etapa, poderá enfrentar a sua primeira corrida de aventura com pelo menos algum conhecimento teórico e prático. Porém o curso não substitui a aula com profissional da área. É somente uma fonte de informações, principalmente para aqu...
Cursos

Curso de Orientação – Parte IV

  3. ORIENTANDO-SE 3.1 PLOTAGEM DO MAPA Ao receber o mapa da prova e o caderno de instruções, já é possível iniciar a plotagem dos PC´s. O caderno de instruções fornecerá as coordenadas UTM dos diversos PC´s da prova, o que permitirá sua localização no mapa. Reforçando o que foi ensinado na segunda parte do curso, vamos plotar passo a passo algumas coordenadas. PC01 – UTM 436711 / 7371123 – você pode escolher uma coordenada parecida em um mapa que você já possua, alterando apenas os números grifados. No eixo X vamos marcar a coordenada 436711. Relembrando, este valor significa 436km e 711m. Primeiro encontre a linha vertical com o valor 436. Falta encontrar os 711m. Considerando um mapa com escala 1:50.000 , 711m da realidade, correspondem a 0,0142m no mapa (711/50.000). Ou seja 0,014...
Cursos

Curso de Orientação – Parte III

  2. BÚSSOLA 2.1 TIPOS DE BÚSSOLA Existem inúmeros tipos de bússola no mercado. Para utilização em Corridas de Aventura, existem três tipos que tornam a leitura mais fácil e ágil. Bússola de Relógio - extremamente rápida na definição do azimute, o que facilita a leitura em movimento; - possui ajuste de declinação, o que elimina a necessidade de corrigir a leitura do azimute; - pode possuir altímetro, outra informação útil para a orientação; Bússola tipo “Régua” - as de marca boa são rápidas na definição do azimute; - algumas possuem um ajuste de declinação; - CUIDADO! As bússolas do hemisfério sul não funcionam com eficácia no hemisfério norte, e vice-versa. Bússola Fixa - este tipo de bússola pode ser utilizado fixado nas canoas, caiaques ou outras embarcações, permitindo a leitura...
Cursos

Curso de Orientação – Parte II

1.3 COORDENADAS UTM A sigla UTM vem da designação Projeção Universal Transversal de Mercator. As coordenadas em UTM são representadas por duas dimensões. Estas dimensões são expressas como UTM (X / Y). A coordenada X é qualquer valor que representará uma linha vertical do mapa. A coordenada Y é qualquer valor que representará uma linha horizontal do mapa. A Coordenada UTM tem como origem o Equador (considerado o valor 10000km para esta linha) e o Meridiano 45º West Greenwich (considerado o valor 500km para esta linha). Os valores das coordenas são expressos em metro. Em algumas cartas, é usual não colocar os três últimos dígitos da coordenada, ou seja, ela passa a ter o valor expresso em quilômetro. Para saber a distância entre duas linhas verticais, ou duas linhas horizontais, basta s...
Cursos

Curso de Orientação – Parte I

Prefácio O objetivo deste curso é ensinar ao participante uma parte da teoria de Cartografia, além da experiência prática da Equipe Rosa dos Ventos. O que vai levá-lo a ser um grande orientador será sua disposição em aperfeiçoar o conhecimento adquirido. “Por ser Engenheiro Civil, eu já tinha uma certa familiaridade com mapas, mas o aprendizado de orientação para Corrida de Aventura eu adquiri com força de vontade. No início eu subia alguns morros da Serra do Mar e ficava sentado tentando enxergar, no mapa, o relevo que estava em minha volta. Fiz isso até que se tornasse algo natural. Depois, comecei a estudar os rios, trilhas, estradas e todas as informações adicionais que permitem facilitar a localização no mapa. Nesta fase, percebi que nem tudo que se vê na natureza está no mapa, o qu...