Trail Run

UTMB Mont Blanc: o futuro, a partir do novo UTMB World Series. Entrevista com Catherinne Poletti

Por Sergio Garasa Mayayo em 15 maio 2021

O futuro com a chegada da UMTB World Series, um projeto conjunto das empresas UTMB e Ironman, duas líderes mundiais. O anúncio abriu inúmeras perguntas e abaixo está a entrevista com Catherinne Poletti, diretora do UTMB Group, realizada por Sergio Mayayo e Abel de Frutos.

Caso prefira, abaixo do video está a descrição da entrevista:

Prólogo

Com o anúncio no dia 06 de maio por parte do UTMB Group sobre o lançamento do UTMB World Series que unirá a The Ironman Group e UTMB, os companheiros Abel de Frutos e Sergio Mayayo entrevistaram a presidente do UTMB Catherine Polleti.

Com o nascimento deste novo circuito, muitas perguntas surgiram.

Sergio Mayayo: Boa tarde e e bem vinda novamente a Carrerasdemontana.
Catherine Polleti: Sim, obrigada pelas boas vindas, ainda que seja de forma virtual.

Sergio Mayayo: Bom, estamos aqui para conversar contigo sobre os veteranos da UTMB. No meu caso, desde que corri os 100 quilômetros do CCC em 2008 onde nos cumprimentamos na chegada, pois esteve ali recebendo a todos não é verdade? E comigo está Abel, que esteve correndo as 100 milhas na última edição.
Abel de Frutos: Claro! Estivemos lá na última edição e estaremos na próxima. E ainda pude desfrutar da Gaoligang by UTMB na China, onde pude conhecê-la e a Michel no fabuloso jantar com os voluntários. Se lembra, não é verdade?
Catherine Polleti: Sim, claro, foi um lugar impressionante com o mesmo espírito do UTMB mas na China. Foi realmente fantástico porque foi possível ver que o coração do UTMB pode estar em outros países e outras culturas e isso nos agrada.

Sergio Mayayo: por exemplo no meu caso, pude correr a Mozart 100 algumas vezes e ali pude conhecer Josef, que também cumprimentava a todos na chegada. Bom, entendemos que hoje tenha vindo aqui contar as grandes notícias que juntam todas essas corridas em Chamonix e no UTMB. Por favor, nos conte.

Apresentação do UTMB World Series

Catherine Polleti: Uau, grande pergunta com poucas palavras, mas terei que me estender mais. Como sabem, em 2014 começamos a trabalhar e organizar o UTWT, com muitas corridas completamente independentes. Essas corridas tinham sua próprias regras. Em 2016 criamos a UTMB International para ajudar outras corridas do outro lado do oceano (como Ásia) a organizar provas como nós fazíamos já que eles estavam interessados na nossa organização.

Desta forma os ajudamos com esta franquia que nos assegurava que essas corridas seguiam os parâmetros do UTMB, um UTMB mas em outro lugar. Devido à pandemia, o processo desacelerou e ao mesmo tempo vimos que os vales ao redor do Mont Blanc poderiam chegar no limite se seguíssemos crescendo. Algo que não poderíamos fazer se quizessemos manter a sustentabilidade do vale e o cuidado com os vizinhos.

Tendo em conta que Chamonix recebia uma variedade de corredores de todos os países (500 da China, 300 dos EUA, Argentina, etc) acreditávamos que o melhor era oferecer um mudança e corridas mais próximas dos corredores. Corridas que todo mundo poderia desfrutar com os mesmos códigos do UTMB.

Sergio Mayayo: Vocês escolheram se associar com a IronMan Group, que unirá a experiência em provas de resistência e o UTMB, que podemos dizer que é a Kona do Ultra Trail, trazendo para todos nós o World Series, com eventos de todos os lados como Austrália, Nova Zelândia e Mozart e outros por parte da UTMB como Gaoligong. Mas exatamente “Quem faz o quê nesta parceria? Quem é o dono deste circuito?”

Catherine Polleti: O UTMB Group é o proprietário do UTMB World Series. Haverá uma aliança com o IronMan Group, porque eles estão muito bem desenvolvido no mundo e tecnicamente possuem muita experiência em organização. Assim o UTMB manterá todo o controle com seus valores e seu espírito e com esta aliança poderemos crescer muito mais e melhor no mundo inteiro.

2022 DESAPARECE ULTRA TRAIL WORLD TOUR

Abel de Frutos: o que vai acontecer com o Ultra Trail World Tour?

Catherine Polleti: A estrutura final ainda não está definida. Estamos conversando há 3 anos com o Ironman Group e todos estamos de acordo com a parceria. A UTWT será encerrada em 2021. E será substituída pela UTMB World Series onde será possível unir os organizadores de cada corrida caso queiram. E o mesmo acontecerá com a UTMB International, onde todas as corridas serão incluídas no UTMB World Series, mas não serão as únicas. A idéia é ter aproximadamente 30 eventos no circuito.

Sergio Mayayo: Triatletas e ultra runners compartilham uma cultura de esporte de resistência. Mas claro, Ironman é uma corporação global vendida a um ano por 730 milhões, enquanto o UTMB é uma empresa familiar. Foi complicado juntar UTMB e Ironmn?

Catherine Polleti: Sim, mas não estamos preocupados com isso. Conhece a história de David e Golias? Nós nos sentimos como David agora. Durante 18 anos fizemos o que queríamos e é claro, não fizemos tanto dinheiro como Ironman, mas criamos outras coisas.

A empresa está crescendo e por isso conversamos com midias, produtoras, seguranças, comunicação digital, etc. Assim que temos sabido encontrar a forma de não ser muito grandes, mas sermos capazes de crescer e nos adaptar aos novos sistemas, porque o trail running é um esporte muito novo e temos que ser capazes de evoluir sem ter que ser muito grande.

Sergio Mayayo: Durante a pandemia na Espanha, a maioria das corridas devolveram 100% das inscrições. porém a UTMB tem uma grande estrutura de custos fixos anuais e devolveu somente 55%, certo?

Catherine Polleti: Sim, devolvemos 55%. Mas todos os corredores devem entender que desde que começamos as inscrições, havia muitas comunicações e muitos gastos. Isso leva a custos internos que temos que pagar. E por isso não conseguimos devolver tudo.

UTMB WORLD SERIES NÃO SUBIRÁ O PREÇO DAS INSCRIÇÕES

Sergio Mayayo: os corredores de montanha acham que as inscrições do Iroman são muito mais caras que as ultra-trails. No momento Mozart 100, Austrália e Ultra Tarawera não subiram os preços ao serem compradas pelo Ironman, mas esse tema segue preocupando. Os preços serão aumentados ao entrar na UTMB World Series?

Catherine Polleti: não, não acredito. Nós temos sorte e não precisamos de tanto material e não temos que transportar bicicletas e outros materiais para a organização, fechar estradas, etc. O preço dos eventos é baseado nos serviços oferecidos aos corredor.

Todo corredor que receber boas informações, ver videos da corrida, compartilhar a corrida com seus familiares, que os sigam e nós temos que oferecer isso. Tudo isso gera um trabalho e um custo. E cremos que esse preço no UTMB é o correto. Devemos respeitar o trabalho de todo mundo.

UTMB MONT BLANC: SOMAR PONTOS ANTES NO UTMB WORLD SERIES.

Abel de Frutos: Esperam que as corridas mantenhm o espírito familiar do ultra-trail? E uma segunda pergunta: Esta será a única opção de correr o UTMB no futuro?

Catherine Polleti: Confiamos que as corridas mantenham o espírito que viemos plantando. Ainda que seja impossível todas as corridas terem as mesmas regras, mesmo que similares. Temos que recordar que as corridas acontecem em diferentes países com diferentes culturas. Tal como você mesmo viu em Gaoligang, não exatamente igual mas com sua própria cultura.

Para vir correr o UTMB Mont Blanc terá que correr o UTMB World Series. Assim no futuro se simplificará os acessos. Não necessitaremos de pontos. O sistema de pontos mudou e agora teremos corridas classificatórias para entrar no UTMB World Series e ali conseguirá as Running Stones para dar possibilidade de entrar no sorteio.

Não necessitaremos de pontos porque vamos manter o Performance Index que se criou quando fundamos a ITRA. Agora eles decidiram modificar esse índice e nós decidimos manter nosso próprio Ranking de Elite (diferente do ITRA) que nos ajudará a provar a experiência dos corredores.

Este ranking UTMB será suficientes para saber se o corredor tem experiência suficiente e junto com as corridas classificatórias nos ajudará a criar esse Performance Index.

Sergio Mayayo: UTMB e Ironman focam num primeiro passo nas corridas de 50 Km, 100 Km e 100 milhas. Se associarão também a Copa do Mundo Mountain Running (WMRA) para cubrir também as distâncias mais curtas? Eles são o que trabalham as corridas mais curtas com Vertical, Classic e Maratonas. Não seria uma boa oportunidade para também celebrar esse tipo de corridas ao unir-se à World Athletics?

Catherine Polleti: Neste momento a idéia é aliar-se ao Ironman Group como única aposta. Além disso, não fizemos falando esportivamente, mas sim em relação à organização e logística, pois eles estão espalhados em todo o mundo. Qualquer corrida poderá ser qualificatória, se a corrida está incluída, o corredor receberá um serviço com a Performance Index e abrirá a possibilidade de subir passo a passo no projeto.

Sergio Mayayo: Na Espanha estamos muito contentes que haverá uma etapa. Mas também nos sentimos muito próximos da América, onde pudemos participar de grandes corridas, além da Aran by UTMB que já inicie dentro do circuito. Acredita que a América terá alguma prova?

Catherine Polleti: sim, há muito lugares espetaculares no mundo. Na América do Sul a coisa está complicada no momento por causa da pandemia, mas assim que possível veremos como incluir corridas que já acontecem e conversaremos com os organizadores. Melhor que criar corridas por nossa conta.

Abel de Frutos: O UTMB 2021 irá acontecer apesar da pandemia? Quais são as expectativas?

Catherine Polleti: posso dizer que estou muito otimista. A única coisa que não sabemos é como será, quais serão as regras, como poderemos nos adaptar, etc. Mas com as vacinas, testes e demais cuidados, não creio que haverá problemas para organizá-lo. Temos planos A, B, C, todo o alfabeto.

Não sabemos exatamente…. mas como sabe, é um problema organizacional, se terá que levar máscaras, se haverá público…. mas prometo que o espírito estará aqui.

Sergio Mayayo: Obrigado Catherine. Convertendo-se na Kona do Ultra Trail, mas seguindo com uma operação familiar. Como está a familia Polleti? Seguem todos trabalhando e entusiasmados com tudo isso?

Catherine Polleti: claro que é um grande desafio. Michel já não é um jovem corredor como antes, mas estamos muito contentes de ter os filhos conosco. Isabel como diretora do UTMB Mont Blanc e David como diretor da Live Trail, que é parte do UTMB Group.

Ambos tem muita gente ao redor (umas 30 pessoas atualmente), assim que não estão sozinhos. Podemos comparar isso a todas as corridas do UTMB e temos que ir passo a passo, MCC, CCC, TDS, UTMB e eles estão no início.

Publicado originalmente em UTMB Mont Blanc, el futuro. Entrevista Poletti por Mayayo (carrerasdemontana.com) e traduzido por Adventuremag