Alto Uruguai Expedition Team: da expectativa à realidade

Por Redação - 23 Dez 2015 - 17h33

Autor: Tiago André Perez da Silva

Há exato 01 ano havia brotado um sonho. Moradores de uma cidade de apenas 16 mil habitantes ao norte do Rio Grande do Sul, eu e Alexandre Rossi ainda não havíamos sido apresentados um ao outro. Após uma temporada de 04 anos morando em Alegrete enquanto servia ao exército brasileiro, decidi retornar a minha cidade natal a mais de 700 quilômetros de distância. Durante esse período competi nas olimpíadas do exército na orientação, obtendo algumas conquistas e diversos resultados significativos.  Meu companheiro Alexandre Rossi, havia sido campeão gaúcho no ano de 2013 e participado do El Cruce, com significativa participação entre os brasileiros.

Tínhamos alguns amigos em comum e após sermos apresentados uma o outro, o papo não seria outro se não aventura. Sonhos e planos no esporte, eis então que surge o convite para montarmos uma dupla e participar de algumas competições. Pronto, a chama estava acesa e ela apenas cresceria cada dia mais.

Decidimos de comum acordo montarmos a equipe e participar do Campeonato Catarinense, considerado o mais disputado do Brasil. Treinamos juntos algumas vezes e decidimos correr uma etapa no "quintal de casa", na cidade de Santa Cruz-RS. Apesar de um problema mecânico conquistamos um motivador 2º lugar e então tivemos a certeza que estávamos no caminho.

Nossa ambição era pequena, modesta eu diria. Nos preparávamos para uma participação modesta, porém focada nas etapas, buscando apenas uma boa colocação entre grandes nomes do esporte e alguns dos líderes do ranking nacional.

Bom, para a logística do campeonato seria necessário alguns colaboradores para que fosse possibilitado nossa participação nas 04 etapas, todas muito distante de nossa pequena cidade. Mais um desafio pela frente, encontrar colaboradores para nossa equipe, para um esporte que poucos conhecem. E para poder ilustrar as aventuras da qual participaríamos era sempre necessário buscar exemplo em outros esportes, normalmente utilizávamos o triatlhon como base para demonstrar as diversas modalidades que enfrentaríamos. A busca não foi das mais fáceis, mas conseguimos. Batemos em diversas portas e o povo hospitaleiro da cidade pequena abraçou conosco nossos sonhos.

A 1ª etapa foi na pequena cidade de Presidente Nereu. Foi uma prova dura, sofrida, de longa duração e um motivador 4º lugar com apenas 12 minutos de diferença para o 3º lugar.  Aquela chama que já ardia em nosso peito em busca de aventura, era cada vez mais forte, mais intensa, e o desejo de aventura crescia dia após dia.

2ª etapa na cidade de Botuverá. Locais paradisíacos e seguíamos como os garotos, os rapazes gaúchos, as legítimas zebras de uma prova disputada, eis que encontramos após enorme esforço nosso primeiro pódio, um exaustivo e recompensador 2º lugar. O foco, a dedicação e determinação apenas aumentava.

Veio a 3ª etapa na cidade de Urubici, famosa e temida pelo frio. Mês de julho, inverno intenso e a maior quilometragem enfrentada até então. Precisávamos de reforço e então levamos conosco nossos familiares. Após meses de duros treinos, entramos na prova com temperaturas negativas, paisagens alucinantes e muito frio, uma prova perfeita, literalmente. Conquistamos nosso segundo pódio e pela 1ª vez o primeiro lugar, não apenas na nossa categoria, mas no geral da prova, em que corriam os principais quartetos do Brasil.

Éramos então os lideres do campeonato e o sonho que era apenas uma participação considerável, foi tomado pela possibilidade de conquista do campeonato.

Deu-se início a preparação para a grande final na cidade de Florianópolis. Foco, determinação, treinos, foram finais de semana longe do convívio da família, as folgas do trabalho e faculdade foram ocupados por treinos longos, embaixo de chuva, de frio.

Outubro chegou, fomos a Florianópolis, e após 15 horas de provas, sim, o sonho havia tornado realidade, éramos campeões do Campeonato Catarinense de Corrida de Aventura de 2015. Sim, as zebras, os garotos da pequena cidade do sul do país ganhavam um dos maiores campeonatos de corrida de aventura do país.

Outras provas foram conquistadas em meio as principais competições, mas o ano não terminaria com a final do catarinense, haveria ainda uma prova maior, um desafio maior, a participação na grande final brasileira no estado do Rio de Janeiro, na cidade de Petrópolis, em dezembro. Bem, novamente, preparamos nossas malas e partimos rumo a buscar a chave de ouro para fechar o ano de 2015.

A prova foi dura, temperaturas alta, sol que queimou a pele e deixou marcar, a conquista do primeiro lugar não veio, ainda. Sim digo ainda, pois o ano de 2016 promete ser ainda mais competitivo ainda mais movimentado.

E aqueles garotos com sonhos na cabeça, hoje são realidade, figuram entre o top 10 do ranking nacional de corrida de aventura, dentre tantas e tantas equipes fortes e atletas renomados no esporte.

O Ano de 2016 virá recheado de competições e com certeza, nossa pequena cidade, Getúlio Vargas, os amigos e colaboradores da Alto Uruguai Expedition Team comemoraram conosco as conquistas das quais buscaremos com ainda maior dedicação e afinco, pois como nosso próprio lema diz... "É aventura, é Alto Uruguai Expedition Team".

Redação
Por Redação
23 Dez 2015 - 17h33 | geral | Corrida de Aventura
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
Cadastro
Cadastre seu email e receba as noticias automaticamente no seu email diariamente