Treinamento

Exercício Físico em tempos de COVID-19: Sua imunidade vai baixar?

Por Cristiano Fetter em 24 março 2020

Os filmes e séries no estilo Walking Dead saíram das telas e bateram na porta das nossas casas.

Isolamento social é recomendado para que a transmissão do vírus seja a menor possível. Mas, se fizermos exercício físico nas nossas casas estamos baixando nossa imunidade e abrindo uma janela para que sejamos afetados pelo vírus? Lembrando que este texto é direcionado para quem está fora da população de risco.

Antes de qualquer coisa, quando falamos de imunidade não podemos observar SOMENTE uma atividade ou sequencia de atividades físicas, devemos observar que a imunidade é diretamente afetada por outras variáveis como: alimentação, sono, sistema hormonal e stress.

Eu diria que esses são os 5 pilares que afetam a imunidade. Neste texto, vamos falar exclusivamente do exercício físico, considerando que esses outros 4 pilares estão em níveis aceitáveis.

Não vou direcionar para uma modalidade especifica, mas sim ao exercício físico como um todo, seja corrida, Trail Running, Funcional, Pilates, Yoga, Crossfit etc…

O que precisamos entender é que muita gente está condenando os treinos INTENSOS, porém o exercício físico é composto de diversas variáveis… Volume, Intervalo entre as séries, massa muscular envolvida no exercício, se a pessoa está acostumada ou não àquela atividade…

Apenas como exemplo, se você correr 400m na maior velocidade possível, vai ter feito um treino MUITO intenso, mas isso não vai causar imunossupressão significativa, pois o tempo de “stress” foi muito baixo, o sistema volta a linha basal de forma muito rápida. Porém, se você sair para caminhar com seu cachorro durante uma hora e não estiver acostumado,  vai ter realizado um exercício de intensidade baixa, mas que vai ter uma janela de imunossupressão muito maior do que a corrida de 400m.

Janela de imunosupressão? Como assim?

Todo exercício físico é baseado em stress/adaptação. Imagine uma linha reta, Independente da atividade que você faça, você está sempre em um looping de “desgaste” do sistema para nível inferior a esta reta. Logo após, seu sistema absorve aquele stress e manda uma série de sinais para que o corpo comece a trabalhar para voltar a linha basal. Quando falo de “janela” é esse período em que você está abaixo da linha basal, esse é o momento perigoso.

Imagine que você treinou em casa, seja qual for a atividade…Está ainda suado do treino que acabou de fazer, você pega o lixo e desce no elevador e encontra alguém (infectado) casualmente neste momento, o vírus, neste momento, tem a faca e o queijo na mão. Esse é o ponto que você deve evitar.

Já vi alguns relatos de pessoas que não querem realizar exercícios de reforço em casa por serem INTENSOS, porém ficam 3 horas em uma esteira ou 4 em uma bike. Acho que a grande palavra, no momento, é moderação.  

Inclusive a recomendação Do American College Sports Medicine (ACSM) é de continuar praticando Exercício.

O momento é de manutenção. Não queira tentar GANHAR condicionamento, não é a hora. Utilize o exercício com sabedoria, até por uma questão de sanidade mental. Mais do que nunca, caso você esteja um pouco mais indisposto, não “force a barra” diminua sua carga de treino ou, simplesmente não treine.

LEMBRE-SE:

O VÍRUS SÓ VAI ENTRAR NO NOSSO SISTEMA SE ELE ESTIVER IMUNODEPRIMIDO. Ninguém fica doente “do nada” é preciso estar com a janela do sistema aberta e você tenha contato com o vírus para que isso ocorra, portanto, manter nossos níveis de imunidade está totalmente no nosso controle. Manter-se ativo é parte fundamental, inclusive para outras variáveis que citei no inicio do texto: stress, sono, níveis hormonais…

Fale com seu treinador, caso não tenha, há diversos profissionais qualificados realizando um grande trabalho online, por lives, Skype, hangout etc… Eu mesmo, já dou aula por whatsapp a algum tempo e funciona super bem.

Abaixo, vou deixar algumas referências utilizadas neste texto para quem quiser ler mais sobre Exercício e imunidade.

Qualquer dúvida é só chamar no inbox no @CristianoFetterCoach

Referências:

https://www.exerciseismedicine.org/assets/page_documents/EIM_Rx%20for%20Health_%20Staying%20Active%20During%20Coronavirus%20Pandemic.pdf

Todo-Bom, A., & Mota-Pinto, A. (2007). Exercício físico: resposta imunoinflamatória.

Gonçalves, P. N. D. J. (2014). Exercício físico e sistema imunológico (Doctoral dissertation, [sn]).

da Silva, F. O. C., & Macedo, D. V. (2011). Physical exercise, inflammatory process and adaptive condition: an overview. Brazilian Journal of Kinanthropometry and Human Performance13(4), 320-328.