Trail Run

Sierre-Zinal 2018: Kilian Jornet busca a sexta vitória na corrida suíça

Texto publicado originalmente em Carrerasdemontana.com e reproduzida com autorização do autor. Tradução e adaptação: Adventuremag

Neste domingo acontece a 45ª edição da Sierre-Zinal, com Kilian Jornet perseguindo sua sexta vitória (2009-2010-2014-2015-2017) na clássica corrida suíça. Nesta prova de 31 Km/D+2.000m há mais de 4.000 inscritos. Os mais lentos (“turistas”) largam às 04h45, enquanto os Juniors partem às 9h45 e finalmente a elite larga às 10h00, com expectativa da chegada do campeão às 12h30.

Sierre-Zinal se destaca pela sua tradição, grande ambiente e alto nível esportivo: Ricardo Mejía e Kilian Jornet são lendas vivas, com cinco vitórias cada um. O espanhol terá este ano a oportunidade de ficar à frente se conquistar a sexta medalha de ouro. Vamos agora com as informações prévias da edição 2018: percurso, favoritos e classificação Salomon Golden Trail Series.

Sierre-Zinal 2018 (31 Km/D+2.200m) Uma prova com 45 edições para 4.000 participantes

A Sierre-Zinal é uma prova que acontece na região do Valais Suíço. Se desdobra ligando as cidades de Sierre (585m) e Zinal (1.685m) por um traçado que tem seu ponto mais alto a 2.425m, totalizando 31 Km com um desnível positivo de 2.000m e um descenso acumulado de 800m.

Neste ano a Sierre-Zinal chega como a terceira etapa da Salomon Golden Trail Series, depois de Zegama e Marathon Mont Blanc. Assim a lista de largada é bastante forte, se bem que todos os focos apontam para Kilian Jornet em sua luta com a estória. Mas não será fácil…  Apenas alguns segundos os separaram de Robbie Simpson e Max King em 2017. E pode ser que neste 12 agosto vejamos cair os recordes de Jonathan Wyatt (2003) com 2h29m12s e Anna Prichtrova (2008) com 2h54m26s.

O percurso

O percurso é indicado para corredores rápidos e fortes pois não há muitos trechos técnicos significativos, causando assim belos duelos entre os corredores de montanha puros e aqueles que vêm do asfalto ou da provas de orientação. Assim, é uma das primeiras provas onde vemos grandes corredores africanos lutando pela vitória.

Além disso, a Sierre-Zinal permite desfrutar de grandes paisagens alpinas, sendo chamada como a “corrida dos cinco quatro mil”, porque durante a corrida os participantes podem avistar o Weisshorn (4.506m), Zinalrothorn (4.221m), Ober Gabelhorn (4.073m), Cervino (4.478m) e o Dent Blanche (4.357m).

Perfil do percurso da Sierre-Zinal
Perfil do percurso da Sierre-Zinal

Como foi a Sierre-Zinal 2017

Os resultados 2017: Kilian Jornet ganhou a edição 2017 adicionando a quinta vitória nessa rápida corrida. Assim igualou o recorde de cinco vitórias do mexicano Ricardo Mejía, uma lenda entre os pioneiros da Skyrunning, que também estava presente na prova.

Kilian vinha de uma vitória nas cem milhas da HardRock, no Colorado, onde correu grande parte com o ombro deslocado. Para ser campeão, teve que esforça-se e cruzou a linha de chegada com vantagem de 14 segundos sobre o britânico Robbie Simpson e 59 segundos sobre o norte-americano Max King.

Entre as mulheres, a Sierra Zinal 2017 viu no pódio duas campeãs veteranas, a queniana Lucy Wambui, vencedora em 2015 e a bávara Michelle Maier em 2016. A africana conquistou a vitória com 2h58m39s, com Michele chegando 6m31s depois. Para completar o pódio, a francesa Amadine Ferrato cruzou a chegada 11m03s depois.

Os favoritos 2018

A Sierre-Zinal 2018 receberá os dez melhores homens e mulheres da classificação da Golden Trail Series, o que reforça a possibilidade de acontecer algo histórico este ano. Do lado masculino, a principal atração é a participação de Kilian Jornet. O catalão voltou de sua lesão em grande forma, tal como mostrou com sua recente vitória no Marathon du Mont Blanc, o recorde na famosa Bob Graham Round no Reino Unido apenas uma semana depois e uma nova vitória na Skyrace Comapedrosa. Apesar de ter ganhado a Sierra Zinal cinco vezes, sabe que a distância de 31Km e o ritmo vertiginoso fazer desta corrida um desafio único.

Jornet enfrentará rivais dificeis. Entre eles destacam-se o veterano Marco De Gasperi, tricampeão da prova (2008-11-12) e o campeão mundial de Mountain Run, Joseph Gray (Team Nike, vencedor da Pikes Peak 2016 e 4º na Sierre-Zinal 2015).

Outros corredores que deve-se prestar atenção são Stephan Wenk (6º em Chamonix, 6º em Zegama) e Pascal Egli (2º no Ring of Steall 2017). Robbie Simpson (Team Salomon) participará novamente após ficar em 2º ano passado, 6º em Zegama este ano e venceu a Broken Arrow Race nos EUA no começo do ano.

Além disso, dentro da própria equipe Salomon estarão presentes também Marc Lauenstein, Thibaut Baronian e Max King. Especialmente Lauenstein, o dentista suíço que ganhou a Sierre-Zinal em 2013 e estará em casa. Vem conquistando bons resultados nas duas primeiras etapas da Golden Trail, terminando em 4º em Zegama e segundo em Chamonix. O francês Baronian, 4º em Chamonix, pode ser uma ameaça real. E King, que se sai bem em qualquer distância, terminou essa prova em terceiro lugar ano passado e foi sexto em Zegama este ano.

Kilian Jornet diz:

“Estou muito emocionado com a Sierra-Zinal. Será minha oitava vez competindo aqui e o ambiente é incrível. Tem uma grande história e isso me motiva. Reúne diferentes tipos de corredores: gente que vem do atletismo, orientação ou corridas de montanha. Se forma assim uma boa combinação de diferentes atletas e competimos todos juntos.

O traçado na verdade não se ajusta às minhas qualidades. É um percurso muito plano e não disputo corridas asssim normalmente, mas isso também é emocionante. E nas últimas semanas estive tratando de treinar mais e melhorar a velocidade. Será bastante interessante. Sempre é um nível alto e este ano ainda mais.”

Disputa feminina na Sierre-Zinal 2018

Entre as mulheres, devemos ver outra grande batalha entre os corredores de elite de variadas disciplinas. Ruth Croft (campeã do Marathon du Mont Blanc) e Ida Nilsson (Campeã da Zegama), as primeiras duas etapas da Golden Trail. Estarão presentes a bicampeã Sierra-Zinal 2015-17, a queniana Lucy Murigi, e a campeã 2016 Michelle Maier, que ficou em 2º ano passado.

Outros nomes a ficar de olho são Silvia Rampazzo (Top10 em Zegama e Chamonis), Eli Gordon, equipe Salomon (3º Chamonix, 8º Zegama), Sheila Aviles, equipe Buff (5º Zegama) e Anne Lise Rousset (4º Marathon du Mont Blanc).

Mais informações sobre a prova: www.sierre-zinal.com