Review - TomTom Adventurer

Por Danilo Vivan - 03 Jul 2017 - 17h37
Equipamentos

Esta é a segunda avaliação da série de reviews da Adventuremag. Nosso objetivo é apresentar a você, corredor de aventura e de montanha, os principais equipamentos em detalhes, sejam eles GPS, mochilas, tênis e o que mais interessar.

Nesta edição, testamos o TomTom Adventurer, GPS da fabricante holandesa TomTom destinado a atividades outdoor. De cara, impressionou positivamente o cuidado da empresa (e de sua assessoria), que nos enviou o equipamento num kit super bacana, dentro de uma sacola da marca e na caixa com manual e um ‘guia do revisor’ para ajudar no trabalho de avaliação. Pode parecer bobagem, mas faz toda diferença: além de possibilitar o chamado ‘unboxing’ – vídeo mostrando o que vem na caixa, junto com o aparelho (dai a expressão), como este https://www.youtube.com/watch?v=4OjUvVf8fno -, o envio do relógio como todo esse kit mostra preocupação da marca com o cliente e com nós, jornalistas. Ponto pra TomTom.

Joystick
Ao contrário da maioria dos concorrentes, o Adventurer possui uma caixa quadrada e destacável da pulseira, com uma espécie de joystick na lateral que comanda todas as funções e é bastante intuitivo – falaremos dele mais adiante. A pulseira é em silicone laranja (também há uma opção preta, mais sóbria), mas que não chama demais a atenção. Aliás, pelo contrário; dá pra usar numa boa naquela sexta-feira mais tranquila no trabalho ou até em reuniões que exigem um visual um pouco mais sério. No meu caso, como tinha uma semana de reuniões em Nova York durante o período em que fiquei com o relógio, usei com terno e gravata. Longe de pegar mal, chamou a atenção de executivos-corredores, que vieram me perguntar mais a respeito do produto.

tomtom_Adventurer_BlackOrange_R__ALTITUDE.jpg

Vamos ao equipamento: o Adventurer é uma espécie de ‘irmão mais novo’ do Runner 3 e, como produto mais recente, traz alguns aprimoramentos. Os principais são a incorporação de um barômetro (importante na determinação da altimetria) e uma moldura um pouco mais alta na caixa, o que significa proteção extra contra batidas e tombos numa prova de trail running, por exemplo.

O já mencionado joystick na lateral torna seu uso super intuitivo. Mal tirei da caixa e já regulei a hora e o alarme. Tudo com apenas três toques e sem precisar quebrar demais a cabeça pra descobrir que comando faz o quê.

GPS
Outro ponto positivo do TomTom é o tempo de reação ao sinal do satélite; nos nossos testes, ele foi muito rápido, com pouco mais de 1 minuto entre o acionamento do botão para o início do treino e a recepção do sinal.

O aparelho possui as opções de monitoramento de Corrida, Trail, Caminhada (Hikking),Ciclismo, Bicicleta Ergométrica (ou rolo), Natação, Ski, Snowboard, Academia (Ginásio), Estilo Livre, Crono e Esteira. No modo esteira, oferece a opção de corrigir a distância auferida – é normal que a distância registrada pela esteira não ‘bata’ com a do relógio.

O visor possui três informações editáveis, dividido em uma parte maior em cima e duas menores logo abaixo. No meu caso, nas idas de casa para o trabalho de bike, configurei o aparelho para mostrar velocidade (no visor maior) e, nos dois menores, distância e a hora – afinal, estava indo pro trabalho e era importante saber se estava ou não atrasado. A informação do visor maior pode ser alterada durante a atividade com um toque para baixo no joystick sem grandes malabarismos, mesmo pedalando, como experimentei fazer algumas vezes. Dá pra acompanhar dados como batimento cardíaco, calorias, tempo e zona cardíaca e outros, com apenas um clique.

tomtom_adventurer_Foto-04.jpg
O display possui três campos customizáveis

Frequencímetro
Um controle curioso é o da iluminação do visor à noite: basta dar um toque com os dedos sobre o visor. O aparelho possui frequencímetro integrado na própria caixa do relógio, com leitor de pulso que capta o ritmo cardíaco. Como já mencionei em outro review, essa não é exatamente uma tecnologia nova, mas sempre me impressiona pela praticidade, que dispensa o uso da cinta peitoral. No caso do TomTom, o relógio possui cinco zonas de frequência, de easy (fácil) a Sprint.

Segundo a TomTom, o aparelho é à prova d’água, resistindo a até 40 metros de profundidade. A respeito desse aspecto, tive a oportunidade de fazer um teste inusitado: de férias em Cancún (México), mergulhei de escafandro num aquário de 6 metros de profundidade com o relógio no pulso e ele resistiu numa boa. Vamos combinar: se a sua praia é o mergulho com cilindro, você vai adquirir um relógio específico pra esse esporte. Mas se possui um Adventurer e vai fazer esse tipo de atividade esporadicamente, pode confiar nele sem medo de ser feliz.

Teste inusitado em aquário com 6 metros de profundidade.

Aplicativos
O carregamento das atividades do relógio para outros aplicativos (como Strava, Runkeeper e Runtastic) é relativamente simples, bastando baixar o app My Sports num celular compatível e sincroniza-lo com o relógio por meio de Bluetooth. O programa transmite automaticamente os dados para seu app preferido.

Para a recarga da bateria, o sistema possui um conector USB. O carregamento é rápido e garante, segundo a TomTom “até 11 horas de atividades que necessitem de recepção de GPS, como corrida ou ciclismo”. Dica bacana: um vídeo da própria TomTom informa que, no modo caminhada (ou hikking), é possível prolongar esse tempo para até mais de 20 horas.

 

tomtom_adventurer_Foto-03.jpg
A equipe da TomTom caprichou no kit. O equipamento veio na caixa fechada com manual.

Portanto, é essa configuração que você deve utilizar se for encarar, por exemplo, uma ultramaratona. O atleta/blogueiro Ricardo Nishizaki, do site Corrida no Ar fez um teste interessante: ele correu os 75 km da categoria Survivor (a mais casca grossa) na prova Bertioga-Maresias (no litoral de São Paulo) com o equipamento nessa configuração e o Adventurer deu conta do recado – aqui, você pode conferir o teste: https://www.youtube.com/watch?v=IU9LjJoL8HA&t=485s

Isso significa que é possível fazer outras provas no mesmo estilo com o aparelho, como a Ultra Fiord (Chile, 100 milhas) ou a celebrada Comrades (na África do Sul, com 85 km).

No geral, o Adventurer cumpre bem com a proposta de oferecer um aparelho robusto e versátil e a um preço (R$ 2.499) que, embora não seja baixo, é bastante competitivo para o perfil a que se propõe.

O Adventuremag agradece a TomTom e sua assessoria por disponibilizar o equipamento e por sua boa vontade com nossa equipe.

TomTom Adventurer
Preço: R$ 2.499

Manual em Português
http://download.tomtom.com/open/manuals/watch2016/html/pt-br/index.htm#Welcome-Linz.htm

Tutoriais
https://www.youtube.com/watch?v=FvGb6iPIs1s&list=PLtkgx6PkzjjjGsY6Jx2kdOm8WueigtcE4&index=1
https://www.youtube.com/watch?v=KsHZGw8IokY
https://www.youtube.com/watch?v=nOsahpG3uyw

Danilo Vivan
Por Danilo Vivan
03 Jul 2017 - 17h37 | geral | Equipamentos
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
Cadastro
Cadastre seu email e receba as noticias automaticamente no seu email diariamente