Trail Running

50 aos 50, na Ultra Fiord 2017

Por Cris Jorge
Publicado 15 abril 2017 - 18:47

É mesmo incrível o poder de um desafio e a força que uma meta atingida podem ter na vida da gente !!!

Hoje posso afirmar que passar pela linha de chegada da Ultra Fiord 2017 me deu uma forte sensação de estar viva, inteira, consciente de que estou aqui por um bom motivo. De que a vida sempre tem um propósito e só cabe a nós descobrir como passar por ela, cumprindo nossa missão com a maior leveza possível.

Mas ao contrário do que muitos podem pensar, garanto que também curti muito todo o percurso. Na verdade, foi a melhor parte de tudo, a cereja do bolo. Fizemos o desafio se converter em momentos de puro prazer para nós. Decidimos que íamos fazer a prova sem nos preocupar com tempo, mas com o firme propósito de concluir nos sentindo bem, inteiras e saudáveis. Foi assim que percorri os 50k mais impressionantes da minha vida, em uma zona de montanha incomparável, com bosques, neve, lama, rios gelados, em um dia privilegiado, de tempo maravilhoso. Como não bastasse isso tudo, de quebra, ainda compartilhando experiências, não só de montanha, mas principalmente de vida com minha parceira. Impressionante como estar diante de uma situação de superação nos aproxima de quem tá ali conosco. Dá uma vontade de chegar mais perto, solidifica mesmo uma amizade.

Fizemos a prova em duo, o que significa que a dupla faz todo o percurso juntas, uma apoiando a outra. E essa se mostrou ser a melhor configuração para atingir esse objetivo. Nenhuma das duas jamais havia passado da distância de 25k. E quando começamos a deixar essa idéia tomar forma na nossa cabeça, parecia algo tão distante!!!

Só eu sei quanto esforço foi para chegar aqui. Muitas pedras no caminho tiveram que ser superadas, empurradas, roladas para o lado ou até mesmo escaladas! Mas é aí que está a beleza. Em reconhecer nossas fraquezas, mas também acreditar na nossa força interior.

Só posso agradecer tudo isso ao meu super treinador Weliton Carius, que foi o cara que me apresentou essa missão e falou: Cris, você é capaz, isso só vai te fazer bem. Mais ainda: me sugeriu sua namorada para formar a parceria, o que me fez ficar lisonjeada com a confiança que ele depositou em mim.

Sem falar da Sânia Ouriques, minha parceira, que hoje posso dizer com certeza: somos amigas! Há alguns meses atrás, muito pouco sabíamos uma da vida da outra, agora já chegamos num nível de nível de intimidade que permite que uma puxe a orelha da outra se for necessário...

Foi tanta gente que me empurrou pra cima nesses meses de treinamento. Minha querida amiga e ídola, Ana Luchesi. Mulher de fibra e determinada, cujo convívio só me faz gostar cada vez mais dela... o Fábio Luchesi, um querido também. Casal inspiração de vida!

E o querido amigo de treinos Maurício da Rocha, de quem tivemos a bem humorada companhia na largada dos 50k, mas depois não o avistamos mais... Fez sua prova em alto estilo e conquistou um 3º lugar em sua categoria, deixando todos nós super orgulhosos.

O grande André Medeiros, coordenador da minha assessoria Camelbak Outdoor Sports, com suas sábias palavras e ensinamentos, também sempre presentes.

Meu irmão José Carlos Jorge, esse tem uma participação super especial! Papel decisivo mesmo. Não fosse pelo sacode que tomei dele há apenas 3 dias para a viagem, tudo podia ter sido diferente... Obrigada de coração maninho, te amo!

E claro, sempre, toda minha família no meu suporte emocional. Base e exemplo de vida que carrego sempre comigo!

A incrível personal, Luisa Felippa, que chegou a me tirar da cama pra treinar várias vezes, eu sei que dei trabalho, mas você não me deixou desistir... Obrigada!

E a também a querida nutricionista Marina Capella, me acolhendo e trocando mensagens por zap até os momentos finais...

Daí você chega no lugar da corrida e começa a respirar inspiração de todos os lados. Na palestra técnica, o mito, Fernando Nazário, com sua simplicidade, explicando tudo no detalhe, de forma que mesmo os mais novatos puderam sair para montar suas mochilhas mais confiantes e cientes do que tinham pela frente.

Começa a ouvir falar dos nomes que se destacam no esporte e a criar admiração e respeito por essas pessoas, como a Tessa, brasileira que eu não conhecia e agora já virou uma lenda pra mim. Venceu os 160k feminino, sendo a 5ª na classificação geral da prova, entre homens e mulheres. E estava lá, na premiação com toda simplicidade... Admiro isso!

Depois do nosso desafio completado, vinha a etapa mais esperada do ano, os 100k para Weliton, Ana e Fabio. Weliton, nosso grande campeão, que vinha em ótima forma para tentar o bicampeonato. E Ana e Fabio com a missão de completar bem a prova.

Eu e minha dupla, depois de descansar, ficamos na expectativa até de madrugada, quando chegou o nosso grande campeão. Chegou em segundo, cruzando a linha de chegada com classe, mesmo depois de haver passado muito mal durante a 2ª metade da prova. Só faz crescer a admiração que temos por ele! Superar um mal-estar assim durante uma prova e ainda ter forças para se manter entre os primeiros não é para qualquer um não. Confirmando que não faz parte da classe dos simples humanos, mas sim de uma categoria à parte.  Impressionante, Prof!!!

No dia seguinte, fomos os 3 esperar os Luchesi, que chegaram à meta inteiros e ainda beliscando os 2º (ela) e 3º lugares (ele) em suas categorias. Chegaram felizes e contagiando a gente com sua emoção.

E assim se acabou tudo...
Missão cumprida pessoal!
Mas fica pra vida a experiência...

Quem diria que eu iria chegar aos 50 anos correndo meus primeiros 50k!

Meu batismo como ultra-maratonista!

Terminar uma prova dessas, me sentindo bem e acordar no dia seguinte sem dor, foi uma senhora conquista. Mas o mais bacana de tudo foi a reflexão de que a corrida é como a vida: A preparação é dura, exige dedicação e compromisso. Durante o percurso, é preciso enfrentar todos os obstáculos, resolvendo os problemas que se apresentam, acreditando que fomos treinados pra isso. Sem deixar de curtir nada, apreciando os visuais surpreendentes e os momentos incríveis de superação! E chegar à reta final sem nem tentar conter a emoção, deixando o coração explodir e extravasar todo o sentimento que estivesse contido, na alegria da realização.

Então, agora é planejar o próximo desafio.

Cris Jorge

05.04.2017 - Ultra Fiord 2017
Província Última Esperanza, Chile (Magalhães e Antártica Chilena) - www.ultrafiord.com
Por Cris Jorge
15 abril 2017 - 18:47 | geral | Trail Running
Cadastro
Cadastre seu email e receba as noticias automaticamente no seu email diariamente