Relato de Jonas Junckes (Secretos de Ullum) na Expedición Guaraní

Por Redação - 02 Set 2015 - 12h52
Corrida de Aventura

O meu sonho é ser campeão mundial de corrida de aventura, ou ainda melhor, viver correndo pelo mundo as grandes provas de aventura e com patrocínios, poder se manter nesse esporte elitizado.

Meu nome é Jonas Junckes, tenho 27 anos, sou de Gaspar, uma cidade de 60 mil habitantes que fica à 120 Km ao norte de Florianópolis. Sem cultura nenhuma em esportes outdoor, apenas futebol e futebol. Eu era um menino da roça e agora um rapaz que trabalha com a família em feira familiar, vendendo produtos coloniais, pães, bolachinhas, queijos, linguiças, cucas e outros. Meu sustento e da minha família é isso ai. Sou formado em Educação Física e viciado em corridas de aventura e orientação desde os 18 anos. Na Orientação estou um pouco afastado esse ano por causa do trabalho. Mas com todos os obstáculos, vou treinando e fazendo as competições que posso.

Secretos de Ullum

Queria muito ir à Expedición Guarani por ser uma prova longa e também por ser organizada pelos amigos Urtzi Iglesias (equipe Columbia Vida Raid) e Gustavo Borgognon, mas nem todos meus parceiros de equipe estavam afim, então tive que ir atrás - junto com o Pedro Pinheiro - de parceiros para fecharmos uma equipe.

Consegui uma pra mim e outra para o Pedro, mas uma semana depois me dispensaram por alguns motivos e enfim, fiquei só e até um pouco desmotivado a treinar por causa disso. Agora eu estava sozinho atrás de equipe, então falei com o organizador Gustavo e ele me indicou os argentinos da Secretos de Ullum. O próprio Oscar veio me convidar e com certeza eu aceitei o convite. Vi alguns resultados da equipe e soube que era uma equipe experiente. Então pensei, sairei mais experiente dessa prova, será um bom treino para o mundial.

Chegaram os dias do evento e lá estávamos, eu e os argentinos. Conseguimos nos comunicar bem e ter um bom entrosamento durante a prova. Largamos de canoa canadense com as bikes desmontadas dentro dela. Saímos na primeira transição em 14° lugar (penúltimo), fizemos a transição e ultrapassamos a Go Crazy. Montamos na bike e fomos girando bem. Alcançamos alguns times e quando chegamos na próxima transição, estávamos em 10° lugar, isso sem ver metades dessas equipes. Isso foi porque havia várias escolhas de rota e acho que escolhemos as melhores.

Entramos para o trekking já a noite e logo no primeiro PC erramos um pouco e perdemos uns 30 minutos, mas quando o encontramos e foi uma grande comemoração. Na verdade nos trekkings, a cada PC encontrado era uma grande comemoração. Mato fechado, cactos e espinhos foram alguns dos ingredientes deste trekking.

Terminando esse trekking chegamos em 6° lugar e ultrapassamos o 5° lugar fazendo a transição mais rápido. O trecho seguinte foi de 60 Km de bike. Tínhamos 2 opções: pegar uma pernada mais curta, porém montanhosa e outra um pouco mais longa, porém mais plana. Optamos pela mais plana, pois o sol estava "de cozinhar" os miolos, ainda mais que meus amigos argentinos não estão muito acostumados com o calor. Perdemos 2 posições, mas na transição recuperamos uma delas e os times que chegaram estavam com caras de acabado, pois vieram pela parte montanhosa.

Começamos o trekking com a equipe Argentina/Brasil Trail del Viento, pegamos o primeiro PC juntos e logo eles nos ultrapassaram, pois demoramos um pouco para achar a trilha boa que levava à progressão mais rápida. Um pouco atrás deles seguimos o trekking. Tivemos um pouco de dificuldade para progredir até o PC 17, ma trilha havia muitas árvores caídas e isso dificultava a progressão.

Encontramos com a equipe Frogs que estava perdidamente alucinada e logo após com a Trail del Viento e com essa última equipe conquistamos o PC 19 e seguimos juntos, até tomarmos rotas diferentes. Levamos a melhor e saímos uns 300 metros à frente deles, conseguindo despistá-los. Achamos a trilha do rapel e também a equipe francesa masculina perdida. Fizemos a descida do rapel ainda na madrugada.

Para o PC 21 fizemos um azimute para o córrego que descia até o local, mas para chegar até ele o mato estava muito fechado e usei a técnica do "Hombre-Bomba", que basicamente foi me jogar de cabeça e aterrissar com a mochila nas costas, contando com a ajuda dos amigos pra me levantar. Já tinha feito algo parecido em treino.

E a festa foi grande mesmo quando alcançamos a área de transição. Nós éramos o 3° colocado e só mais o time Trail del Viento passou conseguiu passar no corte. Ali pagamos 2 horas obrigatórias e partimos para segunda metade da prova. Pedalamos, remamos e logo após entramos para o maior pedal da corrida. Pegamos muita lama no caminho, tendo que parar umas três vezes para limpar a bicicleta.

Nessa noite paramos duas vezes para dormir, uma na hora da trovoada, no início da noite, e outra no final da noite, quando estávamos cansados de empurrar as bicicletas. Chegamos a transição com a Lobo Guará, que já estava com o corte 1. E a Trail del Viento também já estava lá. Recebemos o corte 2, não podendo fazer o trekking 3.

Fizemos a transição bem rápido, tivemos um belo almoço de massa no restaurante do Mirador e saimos na frente. Fomos de bike até o último trekking, dando uma pequena errada na chegada a transição. Então os times que deixamos para trás nos ultrapassaram. Fizemos um trekking razoavelmente bem e os ultrapassamos novamente, cruzando o portal de chegada com 102 horas, felizes da vida com a grande aventura que foi.

Agora tenho 2 meses para me preparar ainda mais para o Mundial de Corrida de Aventura, onde a equipe Nossa Vida está formada por Jonas Junckes, Pedro Pinheiro, Paula Barros e ainda estamos a procura de um integrante.

Agradecimentos em especial à Secretos de Ullum, por me convidarem a fazer parte da equipe e fazer uma ótima prova; à minha mãe, minha esposa e a amiga Liliane por me substituírem no meu trabalho; aos amigos que torceram e vibraram por mim!

Senti todos os sentimentos nos melhores e piores momentos, me motivando a ir em frente ainda mais forte! Ao Urtzi e Gustavo e toda equipe da Expedición Guarani por nos proporcionarem uma expedição digna de muita aventura!!! Parabéns atletas pela aventura e determinação. Em 2016 estamos novamente!

O Sonho Continua! Até a próxima aventura!

Jonas Junckes
Essa é nossa vida.

 

Serviço
Expedición Guarani 2015
22.08.2015
Assunção ()
www.expedicionguarani.com
Redação
Por Redação
02 Set 2015 - 12h52 | geral | Corrida de Aventura
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
Cadastro
Cadastre seu email e receba as noticias automaticamente no seu email diariamente