Mundial XTERRA - Realizando um sonho

Por Bia Granziera - 19 Nov 2013 - 14h59

O Xterra é um triathlon off-road, com 1,5km de natação, 30km de MTB e 10km de corrida em trilhas. Uma prova que eu já cobiçava fazia tempo. Assisti a um Xterra pela primeira vez em 2011 e fiquei completamente fascinada pela prova. Na época nunca tinha chegado perto de nadar no mar e quando vi os competidores adentrando aquele mar agitado, fiquei imaginando se um dia estaria lá.

Dois anos se passaram e um dia o André Lemmi, meu namorado, me convenceu a fazer um treino de natação com o pessoal do triathlon do Clube Pinheiros, só para brincar. Nadei 50 metros e já não tinha mais fôlego nenhum. De verdade. Pra que? Coloquei na minha cabeça que esse seria o desafio do ano e me inscrevi no mesmo dia!

Brasileiros prontos para o Mundial do XTERRA em Mauí 2013

Escolhi a etapa de Ilhabela para estrear. Quando comuniquei isso ao meu treinador, Caco Fonseca, ele me disse que essa seria a etapa classificatória para o Mundial do Xterra, que seria no final do ano em Maui, Hawaii e perguntou por que eu não tentava classificar. Na hora, a ideia me pareceu tão distante que dei risada. Como eu chegaria em um mundial nadando daquele jeito? Para isso, teria que conseguir o primeiro lugar na minha categoria. Impossível!!

Sem pensar muito no mundial, foquei com tudo no Xterra de Ilhabela e nos quatro meses seguintes treinei natação como uma maluca. O treino de natação do Pinheiros é pesado e sofri muito nos primeiros meses para tentar acompanhar. Ao longo do tempo, fui me sentindo mais confortável e meus companheiros de raia davam dicas que iam me ajudando a melhorar.

Esses 4 meses voaram e quando percebi, já estava fazendo as malas para Ilhabela.

Hora da prova. Mar agitado e muito vento. Estava tentando me concentrar ao máximo para não ser tomada pelo medo de entrar naquela água!!! Ouvi a buzina da largada, entrei no mar devagar e comecei a sentir as ondas e as pessoas me "atropelando". Tive alguns segundos de desespero, mas logo peguei o ritmo e foi um momento que eu não vou esquecer. Tudo fluía e eu estava me sentindo "em casa".

Cheguei na transição da bike só 3 minutos atrás da primeira colocada, a campeã americana Shonny Vanlandingham. Estava muito feliz e essa energia me acompanhou pelo resto da prova. Quando cheguei, ouvi alguém gritando que eu era a primeira da minha categoria.

Na verdade, para minha surpresa, não só fui a primeira da minha categoria, mas a primeira mulher geral amadora e a quinta mulher no profissional!! Nem acreditava: estava classificada para o Mundial de Maui.

O Xterra de Maui é um show a parte. Competidores de todos os lugares do mundo dividem a base do evento em Kapalua com atletas profissionais e olímpicos, num hotel gigantesco que respira Xterra.

Reconhecimento do percurso de Mountain biking

A estrutura da prova é impressionante desde a recepção dos atletas. Tudo acontece em salões enormes, totalmente preparados para o evento. Durante o dia, os profissionais ficavam lá dando palestras e dicas sobre a prova.

Percebi que a coisa seria bruta no reconhecimento do percurso de bike, que apesar de relativamente curto (33km) era cheio de single-tracks e exigia muita força em subidas íngremes, tudo isso combinado a um calor surreal, que deixava a Bahia no chinelo!! Outro detalhe: um mês e meio antes do Hawaii, bebi água de um rio numa prova de montanha e contraí um parasita que me mandou para o hospital e me deixou de cama por quase 4 semanas. Tive pouco tempo para voltar aos treinos e nesse reconhecimento senti o tempo que fiquei parada.  

Largada da natação do Mundial 2013 XTERRA Mauí

Dia da prova. Equipamentos arrumados na transição. Agora era caminhar até a praia e esperar a largada. O dia estava lindo e a praia tinha uma energia incrível. Caiu a ficha: naquele momento estava realizando o sonho que tantas vezes duvidei que poderia virar realidade. Os atletas se alinhavam e todos se abraçavam desejando boa prova uns aos outros. Alguns dos melhores atletas do mundo estavam ali, na minha frente!! Estava tão emocionada com tudo aquilo que senti vontade de chorar. Ao mesmo tempo, olhava para o mar e ficava ansiosa com meu já conhecido nervosismo pré-água. Só tenho que agradecer à minha amiga Luli Cox que estava lá do meu lado, conseguindo me acalmar!! 

Dada a largada, corri para o mar e comecei a dar as primeiras braçadas. A transparência da água era incrível e eu conseguia ver tudo lá embaixo! Para aliviar minha tensão, foquei no fundo do mar e por alguns segundos até esqueci que estava na prova. De repente me passa um mergulhador lá no fundo!!! Aquilo parecia surreal. Mais uma vez, a natação fluía bem a uma energia tomou conta de mim. Tinha superado meu medo e agora era ir pra bike e pra corrida, que eram minhas melhores modalidades.

Só que dessa vez a coisa não fluiu tão bem como em Ilhabela. Quando saí da água, senti minhas pernas pesadas e mal consegui correr até a transição (que era numa subida). Mesmo assim, estava confiante e torcia muito para essa sensação passar quando subisse na bike. Mas quando dei as primeiras pedaladas vi que a prova não seria fácil.

Ainda não sei se foi o calor ou a falta de treino em função do parasita, mas desse momento em diante, a prova foi um duelo entre a minha cabeça - tentando tirar meu melhor - e meu corpo - sobrevivendo ao cansaço e ao calor, que só piorava ao longo do dia.

O trecho de bike começava já em uma subida em single, afunilando os competidores, o que piorava ainda mais a situação, pois tinha que seguir o ritmo das pessoas da minha frente. . Olhando em volta, me dei conta de que nunca tinha feito uma prova acompanhada de tantas mulheres. Normalmente mulheres são a minoria absoluta nas provas que estou acostumada, sendo raro encontrá-las. Mas no Xterra não passei nem um minuto sem estar rodeada de mulheres. E o melhor, parecia que cada mulher cuidava da outra, sempre torcendo nas piores subidas e nos downhills mais técnicos. Isso me deu um ânimo a mais e consegui manter um ritmo bom no trecho final da bike.

Daí chegou a corrida.

Corrida no XTERRA Mauí 2013

Eram 5km de subida, seguidos por 5km de descida. Nesse momento o sol já estava muito forte e o fato da trilha ser em um canavial alto, fazia com que me sentisse dentro de um forno. Me forcei a dar tudo na subida para não andar em nenhum momento, mas o calor fez isso ser impossível. Comecei a sentir calafrios e pressão baixa e quando percebi, estava lutando para continuar a andar!! A subida parecia infinita.

Quando chegava nos pontos de apoio, tinha que parar por alguns momentos para beber água gelada (não sou de parar em prova, mas dessa vez não tinha jeito). Aprendi uma palavrinha mágica: “SHOWER!!!!” Gritava isso e os voluntários da prova (na sua maioria crianças e adolescentes) se divertiam jogando copos e copos de água em mim. Se pudesse, agradeceria a cada um deles pela água e pelo incentivo. Foi demais!!

Bia Granziera cruza a linha de chegada do XTERRA Maui 2013

Nos 5km finais de descida senti que poderia acelerar e com muito esforço consegui passar algumas das minhas concorrentes. Estava dando tudo de mim para não perder essas posições, forçando meu corpo a continuar naqueles momentos finais. De repente comecei a ouvir o som da chegada e em mais alguns metros cheguei na praia. Mal aguentei correr na areia fofa de tão cansada, mas explodi de felicidade por estar chegando. Na reta de chegada o Andre Lemmi estava lá me incentivando e apesar de todo sofrimento, não parava de sorrir!!!

Objetivo cumprido e um sonho realizado. A sensação de cruzar aquela linha de chegada teve um gosto inesquecível. Pensar que alguns meses antes eu nem imaginava que estaria lá me encheu de satisfação.

Obrigada André Lemmi que me "obrigou" a não desistir de nadar mesmo quando eu parecia um caso perdido e minha querida Luli Cox, pela companhia e pelas "aulas" de tranquilidade pré-prova. Mãe e Pai, vocês foram a torcida mais animada de Ilhabela!!

Obrigada aos meus companheiros de natação do Pinheiros, pelas dicas, pela companhia e pela força e ao Cacuxo, pelos treinos!!!

Obrigada a todos que incentivaram e torceram de alguma forma. Lembrar das mensagens de apoio da hora que o bicho pegou me fez continuar a fazer força. 

Obrigada Columbia pelo apoio com os melhores equipamentos que fizeram toda diferença nos treinos em montanha, com chuva e com sol.

Que venham as próximas!!

Bia Granziera

 

Bia Granziera
Por Bia Granziera
19 Nov 2013 - 14h59 | geral |
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
Cadastro
Cadastre seu email e receba as noticias automaticamente no seu email diariamente