Multisport

Fodaxman Extreme Triathlon acontece na Serra do Rio do Rastro

Por Adventuremag em 12 novembro 2019
mm

No dia 14 de dezembro, 90 triatletas de sete países estarão alinhados para a largada da quarta edição do Fodaxman Extreme Triathlon. Primeira prova de triathlon extremo das Américas, neste ano o evento passa a integrar o XTri World Tour, o circuito mundial de provas de Extreme Triathlon. O desafio contempla as mesmas distâncias de um IRONMAN, com 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42,2 km de corrida, mas com um grau de dificuldade maior durante o percurso.

Após as duas primeiras edições, o Fodaxman Extreme Triathlon consolidou sua posição no cenário mundial em 2018 como uma das grandes provas do calendário e neste ano receberá atletas de outros seis países, além do Brasil: Argentina, Bélgica, Bolívia, Inglaterra, Noruega e Estados Unidos. Outra grande novidade é de que o evento deste ano será “prospect race” do Xtri World Tour.

Em 2019, além do Fodaxman, mais duas provas foram selecionadas como “prospect races”: Black Lake Xtreme Triathlon, em Montenegro, e Manx Xtreme Triathlon, na Ilha de Man. Os três eventos se unem ao Norseman (Noruega), Swissman (Suíça), Celtman (Escócia), Janosik Slovak (Eslováquia), Canadaman (Canadá), Swedeman (Suécia), Icon (Itália), Hispaman (Espanha) e Patagonman (Chile). Cada uma das provas do XTri World Tour é classificatória para o XTri World Championship.

Pela frente os 90 competidores terão que encarar a natação na barragem do Rio São Bento, com largada às 4h da manhã, sendo o primeiro grande desafio nadar no escuro. Os 180 km de ciclismo tem como ponto alto o desafio na Serra do Rio do Rastro, acumulando 3,650 metros de altimetria. Já os 42,2 km de corrida desafiam os triatletas em um percurso com muita elevação, 1,250 metros, e o trecho final acontecendo no Morro da Igreja, a 1,818 metros acima do nível do mar.

Sobre o Fodaxman

Considerado um dos triathlons mais desafiadores do mundo, o Fodaxman surgiu durante o treinamento de um grupo de quatro triatletas que pedalavam entre Lauro Muller e Urubici. “Sonhávamos como seria realizar a primeira prova de triathlon extremo das Américas. A ideia foi tomando forma e o primeiro passo foi definir um percurso viável que passasse pela Serra do Rio do Rastro e tivesse as distâncias aproximadas de uma prova full distance”, explica Fernando Palhares, um dos organizadores do evento ao lado de Rafael Pina, Felipe Manente e Fabrício Abido.

Após descobrirem uma lagoa para o trajeto de natação o percurso de ciclismo até Urubici ficou viável, com exatos 180 km e sem a necessidade de um único retorno. Definido o trajeto os organizadores passaram a elaborar as regras da competição, que ocorreu pela primeira vez em 2017.

Queríamos resgatar o verdadeiro espírito do triathlon, tão esquecido nas competições atuais. A satisfação em terminar deveria ser maior que o tempo de prova, o desafio em superar nossos próprios limites deveria ser mais importante do que a colocação, os demais atletas seriam nossos companheiros de jornada ao invés de adversários, a imponência da natureza sentida na dificuldade do percurso nos ensinaria a sermos mais humildes”, avalia Fernando Palhares.

Com dez atletas convidados o evento estreou em janeiro de 2017 e para a segunda edição a organização decidiu ampliar as inscrições, abrindo vagas para outros triatletas se candidatarem (aprovados após análise do perfil esportivo). O percurso também foi incrementado com a inclusão dos 16 km de subida do Morro da Igreja, que propiciou uma chegada épica no topo a 1,818 m de altitude.

Mais informações: https://www.fodaxman.com.br/