Corrida de Aventura

PC12 – Os sonhos de uma corrida de aventura se tornando reais na Colômbia

A Corrida de Aventura PC12 na Colômbia foi a primeira de duas novas corridas de demonstração da AR World Series deste ano e provou ser um evento inovador em um percurso difícil, disputado em condições excepcionalmente quentes.

Depois de vários anos de paz na Colômbia, agora é seguro visitar grande parte do país novamente e a comunidade de corridas de aventura queria receber visitantes e organizar uma corrida. A equipe organizadora, liderada por Ricky Velez, Lina Vargas e Juan Aristizabal, todos com experiência em corridas da ARWS em todo o mundo, escolheu a área conhecida como “Magdalena Medio” por suas paisagens contrastantes e porque antes era inacessível, como Velez explicou.

Região de Norcasia

“A região de Norcasia foi afetada pela violência até cerca de três anos atrás. Anteriormente, era uma área em que não era possível entrar devido a plantações de coca, mineração ilegal e grupos armados. Com o processo de paz, muitas dessas áreas estão agora abertas ao turismo de aventura e, de acordo com nossos princípios, queríamos ir para lá.

“A cidade nos recebeu de braços abertos e nos ofereceu tanto apoio que decidimos mudar a rota da corrida para estar ao redor da cidade”.

Para esta primeira corrida, a única equipe internacional visitante veio do Equador, o que talvez fosse esperado, embora a data não tenha ajudado este ano. No entanto, mesmo para as equipes colombianas, a área de corrida era nova. A maioria das equipes na partida tinha algumas corridas internacionais, com as duas equipes Saferbo-Seti as mais experientes no circuito ARWS.

As equipes chegaram a Norcasia para um percurso de 278 km, com 6 seções e 7.515m de ascensão acumulada, e Velez disse: “Cada seção teve sua mágia”.

Havia rafting e um estágio dentro de uma tubulação de 14 km; planícies cheias de vida selvagem, incluindo hipopótamos, macacos e araras; trilhas na selva e colinas íngremes; cânions e cavernas e muitas cachoeiras, com um posto de controle atrás de uma cortina de água.

PC12: o porque do nome

Uma coisa que a corrida não tinha era um PC12… O nome vem de um incidente em uma corrida há 3 anos, onde o PC12 foi colocado no lugar errado e nenhuma equipe conseguiu encontrá-lo. Depois disso, tornou-se uma piada permanente que, se uma equipe seguisse um caminho ruim ou lutasse com a navegação, estivesse “no PC12”.

Para apagar essa memória ruim, os organizadores pegara o nome “The PC12 Adventure Race” e criaram uma corrida em que um PC12 imaginário seria um posto de controle dos sonhos. Todos colocaram o cronômetro do relógio para zerar em 12 minutos (portanto a corrida foi às 09h12) e após o PC11 veio o AT3, onde os atletas tiveram toda a comida e bebida que queriam, camas e cadeiras, e foram “tratados como reis”.

Calor acima dos 30ºC

As equipes ficaram contentes com a pausa do calor e estar dentro ou sobre a água sempre que possível, pois a corrida foi atingida por altas temperaturas. Esperava-se que estivesse quente, mas não que as temperaturas estivessem acima dos 30ºC. Jorge Mario Rodriguez, capitão e navegador da equipe vencedora, ‘Saferbo Seti 1’, disse: “Em uma longa seção de mountain bike ao meio-dia, nossos relógios registraram 43°C!”

As equipes e a organização tiveram que tomar muito cuidado para evitar insolação, e o percurso original foi reduzido para todas as equipes, e mesmo assim apenas as duas equipes da Saferbo Seti fizeram a prova completa.

Rodriguez ficou impressionado com o percurso dizendo: “Provavelmente foi a corrida mais bonita que já participei, uma área maravilhosa com muita biodiversidade. Havia tantos animais e cachoeiras e o percurso era muito dinâmico e nunca chato. Foi uma corrida bem apresentada e todos os PCs tiveram suas próprias dificuldades e nós sentimos que foi de padrão mundial.”

Mas a vitória não foi fácil para sua equipe. “Conseguimos encontrar alguns PCs muito difíceis e conseguimos uma grande vantagem sobre as outras equipes”, afirmou. “E então tivemos duas pessoas que ficaram mal. Primeiro minha esposa teve um problema com o calor e tivemos que parar para esfriar seu corpo. Depois Juan Daniel começou a vomitar e ter diaréia nas últimas 36 horas da corrida. Foi inacreditável que ele conseguiu terminar e que ainda vencemos.”

A equipe contou com sua experiência, que inclui corridas em todo o mundo, como Huairasinchi, Ecomotion, Raid in France e, mais recentemente, na Expedition India. Eles têm um grande grupo com 3 equipes e sua estratégia é navegar bem e descansar 2 a 3 horas por dia. Eles também têm um dos patrocínios mais antigos de qualquer equipe de corrida de aventura, a Saferbo (uma empresa de transporte) e da empresa de TI SETI.

“Eles são nossos patrocinadores há mais de 10 anos”, acrescentou Rodriguez. “Dois membros da equipe trabalham no SETI e todos temos nossos próprios empregos em período integral. Minha esposa tem uma empresa de marketing e eu sou cirurgião plástico reconstrutivo. Ter patrocinadores tão bons nos apoiando e ajudando com inscrições e transporte é algo pelo qual estamos muito, muito gratos.”

A experiência do organizador Ricky Velez

Para a organização, Ricky Velez resumiu sua experiência e quais lições foram aprendidas.

“Corremos há mais de 17 anos em corridas internacionais, visitando muitos países e lugares incomuns com pessoas maravilhosas e aprendendo muito, mas nunca imaginei planejar uma competição. É muito difícil, mas é tão gratificante quanto correr.

“A equipe organizadora teve momentos de grande estresse, mas sabíamos como lidar com eles, com um bom planejamento antes da competição e sempre mantendo o ânimo. Aprendemos muito e a equipe de voluntários respondeu de maneira excelente, para que os competidores pudessem aproveitar a corrida ao máximo, independentemente da situação.

“Planejar e executar uma primeira competição foi difícil, mas pessoalmente acho que será mais difícil planejar uma segunda com paisagens únicas, pois a segunda tem que ser muito melhor que a primeira!

“Ficamos muito cansados, mas super animados para uma próxima vez, e já estamos pensando em possíveis cenários. Todos os voluntários querem continuar e os comentários feitos nas redes sociais pelos participantes e enviados para nossos e-mails nos mostram que o trabalho foi bem feito. Nossos principais patrocinadores escreveram e nos disseram que para 2020 eles querem estar presentes, dando-nos mais apoio.

Mais informações: www.pc12ar.com/ e www.facebook.com/PC12AR/