Corrida de Aventura Relatos

Relato de Paulo Bruning na Clube Cmte. Santa Ritta

Por: Paulo Brunning

Final de semana fomos para Paranaguá para segunda etapa do Campeonato Paranaense de Corrida de Aventura!

Fomos em quarteto: eu, Karina, Felipe, Anderson Munhoz e Alexandre Carrano no apoio!

Largamos para os 100km propostos pela organização de bike e já no PC1 cometi um erro grave que nos custou uns 40 minutos. Nessa prova haviam PC’s opcionais que valiam tempo e diante do erro abortamos o PC2 que valia 1 hora e era opcional. Para o Pc 3 resolvemos dificultar o caminho é fizemos um vara-mato e travessia de rios com as bikes. Parecia não ser nosso dia!

Mas seguimos para o PC 4 onde ficamos procurando o PC enquanto a equipe Pamonhas chegou. Depois de algum tempo achamos juntos e fomos em frente. Ali começou uma disputa que durou até a linha de chegada. PC a PC fomos na bike trocando posições até a canoagem, onde chegamos praticamente juntos!

Na canoagem partimos 20km entre rio e baía. No caminho tinha o PC 12, que nos deu trabalho, pois no briefing perguntei se ele era visível e a organização falou que sim, porém quando chegamos no local não o encontramos e mais uma vez ficamos procurando nas margens. Um lado era rio e mangue e o outro, barranco.

Não avistamos o PC e depois de ir e voltar duas vezes entre a curva que era a referência principal e um braço de rio que havia mais à frente, decidimos juntamente com Os Pamonhas agir conforme consta no regulamento: filmamos e fotografamos o local, além de fazer o check-in no Spot para comprovar nossa passagem e seguimos adiante. Nisso a equipe Os Pamonhas já nos deixou para trás rapidamente!

Chegando na transição para o treking teríamos 20km com 2 PC’s opcionais, um valia 4 horas e outro, 2 horas, porém a prova tinha um tempo limite e quem não chegasse até às 23:00 estaria desclassificado.

Partimos para o treking com uma desvantagem de 15 minutos para Os Pamonhas e andamos no limite para tentar alcançá-los, sem sucesso! Aí veio a decisão mais difícil da prova: arriscar buscar o PC que valia 4 horas e tentar chegar antes das 23:00. Sabíamos que era nossa única chance e fomos confiantes.

Quase deixei minhas pernas nesse PC (conforme foto), mas deu certo e atingimos ele mais rápido do que imaginamos. Agora era só voltar e remar mais 5kms até a chegada. Na teoria era simples, se não fosse uma forte influência da maré que impedia nossa progressão.

O tempo foi passando e não conseguimos progredir. Isso gerou um nervosismo e apreensão pela incerteza de que conseguiríamos chegar até às 23:00. Estávamos muito cansados e o barco onde estamos eu e a Karina era muito mais pesado que os demais e estávamos sofrendo para valer!

Mas às 22:26, cruzamos a linha de chegada com muita, dor, emoção, alegria, exaustão! Vencemos, não só a prova, vencemos nossos limites, dores, adversidades e aprendemos mais uma vez com esse esporte que serve para isso, mostrar que sempre podemos mais!

Obrigado a todos que encontramos na prova pelos momentos ali vividos!

Obrigado Alexandre Carrano pelo apoio e parceria de sempre, você é nosso amuleto!

Valeu Anderson Gamba, mais uma prova parceiro, esse ano nossa parceria só rendeu vitórias!

Karina e Felipe pela superação e determinação do início ao fim, não largaram o osso!

Geraldo Korevar pelas fotos, pizza na chegada, mas principalmente pela amizade, outra coisa valiosa que esse esporte nos trás!

Princesa Juju Juliana Istchuk Bruning de Oliveira e Frederico por me apoiarem nas aventuras vocês são minha vida!

 

Comentários Facebook

Disqus

advmag