Canoagem

Dos Reis Va’a supera Samu e conquista a Volta de Ilhabela 2019

A Volta de Ilhabela 2019 foi realizada no sábado (30), em um dia ensolarado e com o mar flat, favorável para os atletas vindos de diversos estados brasileiros e de outros países.

A largada foi dada pontualmente às 6h na praia de Itaquanduba, em frente à Marina Porto Ilhabela, e o primeiro time a retornar foi o Dos Reis Va’a, após 7h17min23 de prova, seguido de pertinho pela Samu, que cruzou as boias amarelas apenas 21 segundos depois.

O grande destaque desta disputa é que os campeões estavam em uma canoa OC6, com 12 atletas fazendo o revezamento, enquanto a equipe de São Paulo competiu na modalidade V3, com seis atletas se revezando pelos 90 km.

“Foi uma prova muito dura, um dos nossos atletas se machucou quando estávamos próximos ao Bonete, então eu e o Marcelo Bosi tivemos que dobrar em várias trocas. Nosso time é formado principalmente por garotos de 16 e 17 anos e estão todos de parabéns pela superação”, avalia Paulo dos Reis, capitão da Dos Reis Va’a.

Entre os vice-campeões, também é consenso que a prova foi bastante desafiadora, no entanto, eles ressaltam que as condições do mar e dos ventos foram favoráveis para a canoa V3.

“A prova foi muito dura o tempo todo, a gente pegou contravento no sul, depois pegamos um downwind e nos quilômetros finais tivemos uma boa condição, deu para surfar bem”, conta Rafael Santacréu.

A Samu continua sendo a detentora do recorde da prova, com o tempo de 6h52 conquistado na Vibe 2018, quando competiu na modalidade OC6 em uma equipe conjunta com a He’e Nalu.

Equipe feminina Odoyá/ Terra Simão fica na 8ª colocação geral

Além das novas modalidades (OC1, surfski e V3), umas das novidades da Vibe 2019 foi a inclusão da categoria feminina. A equipe campeã foi a Odoyá/ Terra Simão, que terminou a prova em 8h19, alcançando a oitava colocação geral entre as 26 canoas que disputaram a competição.

“A Vibe é uma prova em que você precisa ter técnica e força, mas se você não tiver uma ‘vibe’ com pessoas da mesma energia que você, não vai para frente”, ressalta Fabiana Ferreira, capitã da equipe Odoyá/Terra Simão.

Outro destaque entre as mulheres foi a equipe Ellas Angra Ilhabela, que foi a única embarcação na categoria surfski e a primeira a retornar à Praia de Itaquanduba entre as modalidades individuais, com o tempo de 8h46.

A Vibe 2019 foi realizada no último sábado (30). [Fabrício Fontes / Divulgação]

Vibe 2020

Para a organização, o retorno positivo dos atletas que remaram os 90 km da Volta de Ilhabela demonstra que a prova foi um sucesso e é um incentivo para começar a pensar nas novidades para a edição do ano que vem.

“As equipes foram muito bem e a gente considera a prova um sucesso, o tempo ajudou, o sol abriu e o mar estava em condições favoráveis para remar. Recebemos um feedback positivo dos participantes e já começamos a pensar na Vibe 2020”, conta Marcos Möller, organizador da prova.

Todos os atletas que completaram a Volta de Ilhabela receberam medalhas e cada equipe um troféu de participação. As três primeiras equipes de cada modalidade também foram contempladas com um troféu especial.

Além disso, a Dos Reis Va’a, vencedora da “Conquista da Coroa” – por ter sido a primeira canoa da modalidade OC6 – terá o nome gravado na base de uma coroa banhada a ouro que tem como sede permanente o Paddle Club llhabela.

A entrega das medalhas, troféus e a cerimônia de passagem da coroa foram realizadas na Marina Porto Eventos. A festa de premiação contou também com música ao vivo, drinks e delícias da culinária japonesa e havaiana