Corrida de Aventura no Brasil

Em 1997, o empresário Alexandre Freitas, envolvido há 17 anos no mundo das finanças, ao participar de uma corrida de aventura na Nova Zelândia, gostou tanto do que vivenciou que resolveu implantá-la em nosso país, dedicando tempo integral a este novo projeto que alia o prazer do esporte a uma nova visão, um novo estilo de vida que integra o homem à natureza, ao esporte e à conscientização da necessidade de preservação ambiental.

Alexandre criou a Sociedade Brasileira de Corridas de Aventura (SBCA), organizadora da primeira Corrida de Aventura brasileira, a Expedição Mata Atlântica – EMA, cujo conceito é unir o esporte, a aventura e a preocupação com a conscientização ambiental. A primeira edição da Expedição Mata Atlântica aconteceu em 1998, com duração de 3 dias e 220km de distância. Nesse mesmo ano o Brasil foi representando pela primeira vez no Eco-Challenge, considerada uma das maiores corridas do mundo, com a equipe mineira Brasil 500 anos.

No ano seguinte a EMA se deslocou do litoral norte para o litoral sul de São Paulo e aumentou de tamanho, passando a ter um percurso de 400 km e até 5 dias de duração.

Com a popularização do esporte no país, começaram a surgir eventos mais acessíveis para as maioria das pessoas. As corridas com 1 ou 2 dias de duração possibilitou a participação dos atletas de final de semana que não dispõe de muito tempo e dinheiro para os treinos e corridas.

No início de 2000 dois circuitos são lançados quase simultaneamente: Circuito EcoAventura, organizado por Mário Lopes, e o Circuito Brasileiro, organizado pela SBCA. Os dois eventos eram realizados com o objetivo de trazer novos atletas e preparar os mais experiêntes para a 3a edição da Expedição Mata Atlântica, até então a maior corrida realizada no Brasil. Nesse mesmo ano foi organizado também a primeira edição do Rio Eco e a primeira corrida do Ecomotion Circuit.

Em 2001 a EMA troca de região e realiza sua 4a edição na Amazônia enquanto novas corridas começavam a ser organizadas em outros estados brasileiro. Essa foi a última edição da prova e fez parte do recém criado AR World Series.

Atualmente são organizadas corridas em praticamente todo o país, mas a grande concentração ainda está na região Sudeste, mais especificamente em São Paulo. Por outro lado os outros estados estão se organizando e criando circuitos independentes, como o Nordestino, e associações, como a criada pelos organizadores de Santa Catarina (Naturesporte), Espírito Santo (FCCA – Federação Capixaba de Corrida de Aventura) e a APCA (Associação Paulista de Corrida de Aventura)

Atualmente a maior corrida de aventura no Brasil é o Ecomotion PRO, que teve sua primeira edição realizada em novembro de 2003 na Chapada Diamantina. A corrida teve um percurso de 460 quilômetros e até 6 dias de duração e passou a fazer parte do AR World Series com a não realização da EMA.

A quarta edição da maior prova brasileira foi realizada no Rio de Janeiro e foi uma das mais belas e a mais difícil de todas os outros anos. Geoff Hunt, organizador do AR World Series, esteve acompanhando e analisando toda a prova, desde o percurso escolhido até a estrutura organizacional e durante a festa de premiação anunciou que o Ecomotion Pro seria a sede da final do circuito, o AR World Championship, em 2008.

No primeiro semestre de 2008 acontecerá a primeira edição do Brasil Wild Extreme e pela primeira vez o país terá duas provas de longa duração, com percursos de aproximadamente 400 quilômetros cada.

(atualizado em 17.01.2008)