• A formação de profissionais que atuam com esportes e atividades de lazer na natureza no entorno da cidade de Belo Horizonte/MG

    Autor: Henrique Araújo

    RESUMO

    Amplia-se, no cotidiano brasileiro, a prática de esportes e atividades de lazer na natureza no entorno dos centros urbanos. O crescimento por esse tipo de vivência suscitou questionamentos: qual a formação dos profissionais que atuam com vivências de lazer na natureza no entorno de Belo Horizonte? O que eles entendem por lazer e quais são as suas percepções da natureza? De que maneira, como, quando e por que a temática do lazer integrou a sua formação e/ou sua atuação profissional? Foi necessário complementar a formação teórico-prática para atuar com esportes e atividades de lazer na natureza? Em caso afirmativo, de que maneira isso aconteceu ou vem sendo realizado?

    Assim, esta pesquisa teve como objetivos:
    (a) Identificar profissionais que atuam com esportes e atividades de lazer na natureza no entorno de Belo Horizonte/MG, procurando compreender como e por que eles optaram por esse campo de atuação;
    (b) Discutir quais são as percepções da natureza e os entendimentos de lazer desses profissionais, e
    (c) Analisar a formação desses profissionais, tendo em vista entender de que maneira, quando e por que a temática do lazer integrou esse processo.

    Foi constatado que a formação dos profissionais entrevistados é diversificada, não se restringiu à formação acadêmica inicial e vem sendo complementada com variadas dimensões, tais como familiares, culturais e sociais. Verificou-se que o entendimento de lazer dos entrevistados, por um lado, evidencia características presentes em conceitos elaborados por autores, mas, por outro, reforça algumas características funcionalistas vigentes no senso comum.

    A percepção do grupo quanto à natureza destaca a sua importância, mas ainda carece de um entendimento mais profundo acerca da integração do homem com o meio ambiente, visando à sustentabilidade. A temática do lazer integrou a formação e/ou atuação profissional do grupo de forma parcial, deixando algumas lacunas, por isso os entrevistados afirmaram que foi preciso complementar a formação para atuar com esportes e atividades de lazer na natureza. Grande parte dos profissionais pesquisados considera que, nesse campo, a prática é mais importante do que a teoria, evidenciando uma visão dicotômica que negligencia a indissociabilidade entre elas. Foi também evidenciado que, para o grupo, o conhecimento técnico é o mais relevante para atuar nesse âmbito. Apesar de ser importante, esse tipo de conhecimento pode ser ampliado e inter-relacionado com outros saberes essenciais para qualificar a formação e a atuação profissional. Espera-se que esta investigação seja mais uma contribuição para o estudo dos esportes e atividades de lazer na natureza, auxiliando a construção/consolidação desse campo.